Como surgiram as 7 notas musicais?


 Foi na Idade Média, tempo em que a Igreja cultivou a música, a arte, a arquitetura, o Direito, a Economia, a agricultura, as letras, etc., que surgiram as sete notas musicais. Não entendo como alguns historiadores tiveram a coragem de mentir ao povo dizendo que foi uma idade de trevas. É má fé com a Igreja que moldou este tempo. Um exemplo da bela cultura da Idade Média, é a criação das sete nota musicais, pelo Monge italiano Guido D’Arezzo ( 992-1050), que foi regente do coro da Catedral de Arezzo, na Toscana, e aproveitou a letra de um canto gregoriano, cantado pelas crianças do coral, para que São João as protegesse da rouquidão. Dessa forma, usou a primeira sílaba de cada verso para dar nome a cada uma das notas da Escala musical. A nota inicial de cada verso correspondia a uma nota da escala. Na época se usava o latim. A letra em latim é de Paolo Diacono (720-790), que significa: "Para que os teus servos possam cantar as maravilhas dos Teus Atos admiráveis, absolve as faltas dos seus lábios impuros". Ut queant laxis (dó) - Para que possam Resonare fibris (Ré) - ressoar as Mira gestorum (Mi) - maravilhas de teus feitos Famulli tuorum (Fa) - com largos cantos Solve polluit (Sol) - apaga os erros Labii reatum (La) - dos lábios manchados Sancti Ioannis (Si) - Ó São João Com o tempo, Ut mudou para Do (provavelmente de "Dominus" = Senhor) para maior facilidade, e San transformou-se em Si (de Sancte Ioannes). Outros exemplos do brilho da Idade Média cristã são, por exemplo, as inúmeras universidades fundadas pela Igreja (Bolonha, La Sapienza, Oxford, Cambridge, Sorbonne, Montpellier, Valladollid, Coimbra, Compostela, etc.). As belíssimas e majestosas catedrais que o mundo moderno vai a Europa ver. Uma arquitetura invejável, mosaicos incomparáveis, uma música sublime, e muitos mais. Não há como negar isso tudo. Contra fatos não há argumentos. Tudo era para a Glória de Deus.

Comentários