Pastores ou cães contra as ovelhas?

Muitos vão continuar com o papel de cães voltados contra as ovelhas
porque foi para isso que se infiltraram na Igreja.


Dom Manoel Pestana Filho escreveu recentemente um curto e ardente apelo onde cada palavra cai muito bem sobre o "berço esplêndido". Após, advertir sobre o terrorismo vermelho que se espalha pela América Latina, lembrar as palavras ditas em Fátima prevenindo que o comunismo se espalharia pelo mundo com perseguições à Igreja, alertar para a maçonaria dentro de Cúrias e Movimentos, Dom Manoel ainda pergunta com ousadia: "Nós somos pastores ou cães voltados contra as ovelhas?" (http://www.youtube.com/watch?v=5sKCSjJ-OC4).

Padres, pastores, bispos e outros líderes espirituais foram pegos de surpresa ao tomar conhecimento da multidão de fiéis que ainda creem em Deus, conhecem seus mandamentos e ainda O temem na Terra de Santa Cruz. Talvez tenham tomado um susto: "Ué? Mas o que é isso? Essa gente toda ainda crê apesar de nós, cães voltados contra as ovelhas?"

O Brasil assistiu a vários padres, muitos leigos e poucos bispos profetizando que viria uma avalanche de leis contra a família caso o PT continuasse no governo. E a CNBB? Interpretando muito bem o papel de tentar calar os "profetas".

Numa resposta explícita à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e a todos que silenciaram, o Papa Bento XVI se pronunciou (http://www.youtube.com/watch?v=rxdYxPDYP8I&feature=related). Bem podem ser aplicadas aqui as palavras de Nosso Senhor quando se dirigiu aos fariseus que queriam que os discípulos fossem repreendidos: "Digo-vos: se estes se calarem, clamarão as pedras!" (Lucas 19, 40). E falou a Pedra, o Papa Bento XVI, sucessor de Pedro que significa "Pedra", sobre a qual Jesus disse que fundaria a sua Igreja.

Mas Pedro é uma só pedra e Jesus disse que se os discípulos se calassem falariam "as pedras" (plural). O natural seria que os pastores obedecessem a Cristo que lhes pediu para apascentar suas ovelhas e pregar o Evangelho. Como muitos já não creem e nem falam de Deus ao povo sedento da sua Palavra, as ovelhas já lhes pareciam pedras, transformadas e reduzidas a pedras por eles mesmos. Pedras não creem em Deus, não temem a Deus, não falam de Deus.

Ora! Que surpresa!? Qual não foi o susto dos pastores quando viram suas pedras falando de Deus, defendendo a vida, lembrando seus mandamentos e valores cristãos tal qual profetizou Jesus. A CNBB tão cheia de pastores revelou-se cheia de cães voltados contra seu próprio rebanho. Outros taaantos padres se calaram. E foi então que as pedras falaram... ...

Com relação àqueles padres que entraram na Igreja para destruí-La carcomendo-A por dentro faz lembrar a história de um ladrão que planeja roubar os cálices, cruzes e outros objetos ricamente ornamentados com ouro, prata e pedras preciosas do altar de Nosso Senhor Jesus Cristo. Embora por mais que o homem tente e deva ornamentá-lo com o que tem de melhor e mais nobre nunca chegue à altura.

Para que o plano desse certo ele foi ordenado e começou a encenar cada detalhe como se fosse um sacerdote leal e digno de servir no altar de Deus. Angariando a confiança dos demais esperaria a hora certa para dar o golpe e lesar levando quanto tesouro pudesse. Só que foi traído por ele mesmo. De tanto brincar de celebrar, fingir rezar, ler a sagrada escritura ele acaba se convertendo e prostra-se diante de Deus iniciando seu mais autêntico sacerdócio.

Será que pastores de ovelhas depois de representar e trair vão acordar e começar a pregar Deus e o que é espiritual e, quando necessário, falar da clara Doutrina Social da Igreja? Ou vão continuar pregando a furada Teologia da Libertação, o "tudo pelo social" e se metendo em dívida externa como faz a CNBB? Muitos vão continuar com o papel de cães voltados contra as ovelhas porque foi para isso que se infiltraram na Igreja.

Outros, coitados... Foram tapeados no seu tempo de seminário e por falta de orientação pregam o mal. Só que hoje, com a internet, qualquer padre - até da CNBB - que seja honesto e queira descobrir como, onde, porque foi e está sendo enganado, pode fazê-lo. Sigam os passos do Padre Paulo Ricardo, por exemplo, que antes, como reitor de seminário achava ruim dar a comunhão na boca dos fiéis, e depois de começar a pesquisar na internet, em livros, documentos... procurar... checar... foi redescobrindo seu sacerdócio, a liturgia mais digna, entendendo ideias de doutrinação comunista que foram incutidas em sua mente. Vale conferir seus depoimentos. Um deles:http://padrepauloricardo.org/audio/marxismo-cultural/

Leigos estão encontrando o Caminho, a Verdade e a Vida apesar das infiltrações na Igreja. Padres e bispos também podem (se forem sinceros) procurar até, não apenas, na internet e descobrir o Tesouro que é a Igreja Católica Apostólica Romana. A essa altura já nem importa se entraram por acidente, se com sinceridade ou foi para destruí-La de forma premeditada. Se quiserem ganhar tempo poderão assistir aos mais de 260 vídeos curtíssimos do canal do You Tube fimdostemposnet [http://www.youtube.com/user/fimdostemposnet]. Vão se assustar! É apenas uma sugestão para um começo com fontes diferentes dos atrasadinhos e comprometidos jornais de TV. São esclarecimentos de cientistas, jornalistas, médicos, autoridades de diversas partes do planeta.

O Brasil tido como país mais católico do mundo está com o rebanho implorando por quem os guie. Parecendo ovelhas tontas, rodando em falso e clamando aos céus: Mande-nos quem nos fale de Deus, doutrina da Igreja, família, filhos, fidelidade, moral, liturgia, castidade, vida dos santos, inocência, sagrada escritura, virtudes heróicas, arrependimento, mandamentos, paternidade responsável, amor, pureza, temor...

Que chance após as eleições para tantos padres dentro e fora da CNBB. Chance de prostrar-se diante de Deus e começar de novo vosso sacerdócio. Ou mesmo retornar àquele sacerdócio que abandonastes. Afinal, traidores ou não, artistas encenadores ou não, cães ou pastores, uma vez sacerdote, sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque.


(*) Márcia Vaz, escritora e palestrante

Comentários