Canção "Noite Feliz" foi escrita há 185 anos.

Rogério Lorenzoni/Terra

Em 24 de dezembro, milhares de turistas irão mais uma vez para Oberndorf, perto de Salzburgo (região central da Áustria), onde há 185 anos foi composta Noite Feliz, que talvez seja a canção natalina mais conhecida do mundo.

Stille Nacht, Heilige Nacht em alemão, Noite Feliz em português, Silent Night em inglês, Douce nuit em francês: hoje traduzida para 330 idiomas, a canção de Natal austríaca foi criada por acaso, quando quebrou o órgão da igreja do povoado de seis mil habitantes.

Em 1818, dois dias antes do Natal, o antigo órgão da igreja de São Nicolau, a paróquia do padre Joseph Mohr, parou de tocar. Para não decepcionar os fiéis, o sacerdote pediu ao amigo Franz Xaver Gruber, maestro e organista do vizinho povoado de Arnsdorf para compor uma melodia para um texto de Natal que ele havia escrito dois anos antes.

Na Missa do Galo de 24 de dezembro, o padre Joseph Mohr, com sua bela voz de tenor e que tocava violão, e Gruber, com sua bela voz de baixo, interpretaram pela primeira vez, em alemão, a canção Noite Feliz.

O fato era totalmente incomum na época, quando os textos religiosos ainda eram escritos em latim. Mas Mohr achava que uma letra simples e fácil de entender era o mais adequado para seus fiéis, na grande maioria barqueiros e camponeses.

Em 1831, um coral que se dedicava a cantar cantos populares tiroleses incorporou a canção natalina do padre Mohr a seu repertório durante uma viagem pela Rússia. Dali, a canção viajou para Nova York, onde foi interpretada por um coral tirolês em 1839, mas onde seus autores e sua origem permaneceram desconhecidos.

Trinta e seis anos depois, a corte prussiana, que procurava a partitura original da canção, consultou o pároco de São Pedro de Salzburgo que, para surpresa geral, disse que Mohr e Gruber, mortos no anonimato em 1848 e 1863, respectivamente, eram os autores daquela canção que tinha sido atribuída ao compositor austríaco Michael Haydn.

Hoje, Oberndorf vela para que os dois homens não sejam esquecidos. Em 1937 foi construída uma capela no mesmo local onde, no século anterior, ficava a paróquia de São Nicolau, que foi destruída em 1913 por uma inundação. A ela foi dado o nome de Noite Feliz e em seus vitrais aparecem os retratos de Mohr e Gruber.

A capela é hoje uma atração turística que recebe 150 mil visitantes por ano. O prefeito da cidade, Andreas Kinzl, estima que os turistas vêm visitá-la "porque Noite Feliz é efetivamente uma mensagem de paz", que os faz sentir melhores.

As canções natalinas são executadas na cidade durante todo o mês de dezembro, onde no museu Noite Feliz, localizado em frente à capela podem ser vistas a partitura e a letra originais da canção e documentos que explicam a sua história.

Durante as festas de Natal, os moradores de Oberndorf e turistas vêm todas as noites aos arredores da capela, onde podem provar do pão de Natal típico da região e o vinho quente vendido em uma dezena de quiosques. Mas, como a capela só tem capacidade para 20 pessoas, em 24 de dezembro o padre Nikolaus Erber celebra a missa ao ar livre, visto que tradicionalmente sete mil pessoas acompanham a Missa do Galo em Oberndorf.

Comentários