..

Ei-la mais uma vez!

O fato que segue foi relatado pelo Padre Sineux, durante um retiro, em 29 de julho de 1964: um pastor protestante escocês tinha, em sua paróquia, determinado número de famílias irlandesas. Por conseguinte, eram todos católicos fervorosos. Estava ele bem contrariado e, sendo fervoroso em sua religião, tentava, de todas as maneiras, combater as crenças alheias. Assim, de boa vontade, dirigia-se às crianças.

Certo dia, encontrou em seu caminho uma garotinha irlandesa de aproximadamente oito anos. Ele parou e, inicialmente, conversou com ela de forma gentil; depois, pediu-lhe que fizesse algumas orações, prometendo-lhe uns trocados, se ela rezasse direitinho. A pequena rezou o "Pai Nosso", e o Pastor a felicitou. Em seguida perguntou:
- Você conhece outras orações? Reze uma outra.
A criança começou a rezar a "Ave Maria". O Pastor, porém, interrompeu-a, dizendo:
- Isso aí não é uma oração, pois não temos que nos dirigir a uma mulher; devemos nos dirigir e rezar somente ao bom Deus.

A pequena, um pouco embaraçada, passa a rezar o "Credo", e o Pastor encoraja-a. Ao chegar ao trecho em que se diz "nasceu da Virgem Maria..." a menina, bem chateada, murmurou: "Ih! Olha Ela aí de novo!... O que é que eu faço?... O Pastor confessaria, mais tarde, que se sentira como que sufocado com aquela reflexão da pequena irlandesa. Deu-lhe os trocados prometidos, despediu-se e voltou para casa, fora de si.

Ei-la presente, aquela Virgem Maria, no Credo, a oração que rezava tantas vezes, sem nunca ter prestado atenção! Ei-la, no centro de nossa fé cristã! E este foi o início de longas reflexões que resultaram, pouco depois, na abjuração, na deserção da religião que professava, tornando-se, mais tarde, Padre católico. Ele próprio passou a contar, inúmeras vezes, este caso fundamental em sua vida.

 
 

F.J.E. Recueil Marial (Florilégio Mariano) N° 25, 1991

Comentários