Os católicos adoram a Maria como “Deusa”?



Muitos títulos de honra a Igreja deu à Maria, e nos cabe
procurar entendê-los corretamente. A Igreja sabe o que é o Reino de
Deus, quem é Jesus e quem é Maria, e nós precisamos aprender essas
coisas. Devemos aprender a amar Maria com uma devoção pura e autêntica;
falar muito com Jesus e com o Pai, pedir sempre a luz do Espírito Santo
no que dizemos e no que fazemos. Se vier o desejo de falar com nossa
Mãe do Céu, devemos fazê-lo sabendo que falar com Jesus é falar com
Deus, e que falar com Maria é falar com o ser humano mais especial que
está no Céu com Deus.



Nunca a Igreja ensinou que Maria é uma ‘deusa’, como acusam os protestantes e os demais. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) deixa muito claro que é sempre o Deus Uno e Trino quem concede as graças. Nossa mãe pede por nós, intercede junto a Deus.
Jesus concede porque é nosso Intercessor junto ao Pai, e porque todo o
poder lhe foi dado no Céu e na Terra. Maria consegue orando, pedindo. Se
tantos padres e pastores conseguem graças e bênçãos orando a Jesus,
quanto mais ela, a Virgem Maria, que foi e continua sendo muito mais santa, mais unida a Jesus e mais pura e salva do que qualquer um de nós? Nós levamos o Senhor na mente e no coração: Maria,
além disso, o carregou no ventre: a Carne de Jesus Cristo, Deus
encarnado, era a mesma carne de Maria. O sangue que fluía em Maria era o
mesmo Sangue salvador que fluía em Jesus, e que foi derramado pela
salvação da humanidade. Já parou para pensar nisso? 
Maria cuidou e protegeu Nosso Senhor desde quando Ele, por amor a nós, se fez um bebê indefeso. Que
grande absurdo é querer “defender” Jesus tentando diminuir
Maria! Cristo é Deus, Alfa e Ômega, Principio e Fim de todas as coisas.
Quem o tem, tem tudo. Para quem está nele, não existem condições
. Maria, Mãe bendita, vive nele, para sempre. O
amor que vem de Jesus e de Maria são o mesmo e um só: expressão máxima e
perfeita do Amor Divino no mundo, e que provém dele, o Autor da Vida e
Deus de Amor. 
E foi a este mesmo Amor que Maria se entregou, de
corpo e alma; foi deste Amor que ela se fez serva, para se tornar
“Nossa Senhora” para sempre. Devemos saber que, dentro da
verdadeira Fé, nada nos desvia da verdadeira Comunhão dos santos e nem
da companhia e proteção de nossa bem amada e sempre Bem Aventurada
Virgem Maria, Mãe de Deus e de todos nós
; exemplo incomparável de santidade sempre ao nosso lado no percurso do Caminho





fonte: Caritatem

Comentários