Papa Francisco condena a união gay


“Qui autem
scandalizaverit unum de pusillis istis, qui in me credunt, expedit ei, ut
suspendatur mola asinaria in collo eius et demergatur in profundum maris.”
(Matthaeum 28, 6)

Ai
daquele que escandalizar aqueles que creem em Jesus, na Santa Igreja Católica, seria
melhor que atassem uma pedra de moinho no pescoço e se lançassem ao mar! Estamos
todos acompanhando o que o Mass Media vem vinculando a respeito do Sínodo dos
bispos sobre a Família.



Segundo
os meios seculares, a tendência do Sínodo é o de alterar a doutrina católica,
intocável até hoje, sobre o casamento com fins de união e procriação, conforme a
Sagrada Escritura estabelece tanto no Antigo como no Novo Testamento. Estão, no
entanto, colocando asas em bois, atribuindo afirmações de prelados particulares
ao Santo Padre. Após ler o artigo perceber-se-á que a mídia amarrou o seu
cavalo em toco de amarrar jegue.
A
mentira tem perna curta! Existe uma ciência pouco usada pela mídia que
esclarece muitas das “fofoquices
ideológicas da mídia, talvez não querem fazer uso dela propositalmente,
suponho, esta ciência é chamada de história! Sim, está mesma! Quiçá, eles leiam
a história, entretanto a única página deste inaudito livro somente possui uma
página, tratando da inquisição, é evidente.
Um
breve estudo da história e discursos de Jorge Mario Bergoglio, atual Papa
Francisco, refuta as balelas
inventadas pela mídia. Postarei parte do conteúdo do precioso ebook que estou
desenvolvendo sobre a fé do Bergoglio com mais de 100 temas diferentes! Aguarde
o ebook completo que será postado neste blog gratuitamente. Parte do conteúdo é
o que proponho aos leitores.
__________________________

Para
Bergoglio a família é a célula no qual a sociedade está apoiada, mas não
somente isso, a distinção de funções dentro da família é importante para uma
reta hierarquia.

Os papéis de paternidade, maternidade,
filho ou filha, irmão ou irmã, são a base de qualquer sociedade
, e sem eles
toda a sociedade perderia consistência e se tornaria anárquica.” (Parish
and Family, 18 de janeiro de 2007)

“Muitos
nas sociedades modernas tendem a considerar
e defender os direitos do indivíduo, o que é muito bom. Mas não por isso se
deve esquecer a importância que tem para a sociedade – cristã ou não – os
papeis básicos que se dão somente na família
fundada no matrimônio
. Papel de paternidade,
maternidade, filiação e irmandade
que estão na base de qualquer sociedade e
sem os quais toda sociedade vai perdendo consistência e se tornando anárquica.” (Bergoglio, Mensagem
dada em Roma, 18 de janeiro de 2007)


Não
há muito o que explicar sobre a necessidade da base familiar, fundada na união
natural, para a sobrevivência da humanidade, basta dois neurônios (estou
exigindo demais dos esquerdistas, sim eu sei) para compreender este fato que é
tão incontestável como o de que Papai Noel não existe.
“A
família é o centro natural da vida humana.” (Parish and Family, 18
de janeiro de 2007)
.
“A família é importante, é necessária para a sobrevivência da humanidade. Se não
existe a família, a sobrevivência cultural da humanidade corre perigo. É a base, nos apeteça ou não: a família.”
(Papa Francisco, entrevista à Rádio da Arquidiocese do Rio
de Janeiro, 27 de julho de 2013)
A
razão natural do casamento não é argumento, mas um fato. Com fatos não há
argumento. Não obstante, há ainda a fundamentação mais elevada do que a
natural, isto é, a divina, nos diz o Papa Francisco.
“Desde
o início, o Criador colocou a sua bênção
sobre o homem e a mulher
, para que fossem fecundos e se multiplicassem
sobre a terra; e assim a família torna presente, no mundo, como que o reflexo de Deus, Uno e Trino.” (Papa
Francisco, discurso no Consistório Extraordinário sobre a família, 1º de
fevereiro de 2014)




A
Sagrada Escritura nos relata que o demônio após tentar Nosso Senhor se retirou
afim de voltar quando oportuno. Pois bem, o encardido não suporta que o homem e
a mulher tenham sido criados à imagem e semelhança de Deus, por isso combate
aquilo que os une, o casamento.
Vasculhando
o episcopado de Bergoglio percebemos que ele foi militante (nossa que palavra
pesada, rs) da vida, do casamento que está aberto à vida, aquele formado por
homem e mulher. “A Igreja, que está do
lado da vida
, ensina que qualquer ato matrimonial deve permanecer aberto à transmissão da vida.”
(Catecismo da Igreja Católica, 2366). Quando do projeto de lei que tentava
legalizar as uniões homossexuais foi proposto na terra de los Hermanos (chora Messi!) o Arcebispo de Buenos Aires foi peremptório,
condenado o projeto sem titubear, e ainda sem sequer propor que isto seja única
e exclusivamente um problema religioso, mas sobretudo natural, antropológico.
"Aqui
também está a inveja do Demônio,
através da qual entrou o pecado no mundo, que de modo arteiro pretende destruir a imagem de Deus:
homem e mulher receber o mandato de crescer, multiplicar-se e dominar a terra. Não sejamos ingênuos, [a união homossexual]
não se trata de uma simples luta política. É uma pretensão destrutiva ao plano
de Deus
. Não se trata de um mero projeto legislativo, mas de uma ação do
pai da mentira que pretende confundir e enganar aos filhos de Deus". (Cardeal
Bergoglio, Carta aberta em repúdio à união homossexual enviada aos monastérios
de Buenos Aires, julho de 2010)



Apoiando
o manifesto dos leigos em repúdio ao projeto de lei, relata Bergoglio.
“A
comissão Episcopal de Leigos da CEA, em seu carácter de cidadãos, teve a
iniciativa de realizar uma manifestação diante da possibilidade de sanção da lei de matrimônios para pessoas
do mesmo sexo
, reafirmando – junto a necessidade de que os meninos tenham direito
a ter pai e mãe para sua criação e educação. Por meio destas linhas desejo oferecer meu apoio a esta
expressão de responsabilidade do laicato.” (Bergoglio, Carta ao
Diretor do Departamento dos leigos, 5 de julho de 2010)

Para
dar um tiro de misericórdia nesse zumbi (a mentira da mídia) que insiste em
perambular pelas redes, Bergoglio diz que o casamento natural é anterior ao
estado e até mesmo à Igreja, ou seja, nenhum dos dois poderes (civil e
religioso) pode alterar o que é desde a criação do mundo.
“A
essência do ser humano tende para a união
do homem e da mulher
como realização recíproca, atenção e cuidado, e como o
caminho natural para a procriação.
Isto confere ao matrimônio transcendência social e carácter público. O matrimônio precede ao Estado, é base
da família, célula da sociedade, anterior
a toda a legislação e a Igreja mesma
. Daqui que a aprovação do projeto de
lei questão significaria um real e grave retrocesso antropológico.” (Bergoglio,
Carta ao Diretor do Departamento dos leigos, 5 de julho de 2010)



Depois
de massacrar a loucura midiática, ele, sem perder tempo, aproveita para demonstrar
a incoerência esquerdistas que querem respeito às diferenças, mas querem uma homogeneização
das mesmas.
Está
aí o que Bergoglio pensa, com uma sutileza “maestral”,
digna de “ratzingeriano”, destroça
dos argumentos dos adversários.
“O
matrimônio (configurado por varão e mulher)
não é o mesmo que a união de duas pessoas do mesmo sexo
. Distinguir não é
discriminar, mas respeitar; diferenciar para discernir é valorizar com
propriedade, não discriminar. Em um tempo em que pomos ênfase na riqueza do pluralismo,
diversidade cultural e social, resulta em uma contradição minimizar as diferenças humanas fundamentais. Os
cristãos atuam como servidores da
Verdade
e não como seus donos.” (Bergoglio, Carta ao
Diretor do Departamento dos leigos, 5 de julho de 2010)



Para
fechar o pacote fale mentira e leve um
massacre
Bergoglio diz o que pensa sobre a adoção de crianças por casais
homossexuais.
 “Toda
pessoa precisa de um pai masculino e uma mãe feminina
que ajudem a criar
sua identidade.” (Cardeal Bergoglio, Sobre o Céu e a Terra, pag.99)

“Costuma-se
argumentar que uma criança estaria
melhor se criada por um casal de pessoas do mesmo sexo do que em um orfanato ou
instituição
. As duas situações não são ideias. O problema é que o Estado
não faz o que tem que fazer. Mas a falta
do Estado não justifica outra falta do Estado
.” (Cardeal
Bergoglio, Sobre o Céu e a Terra,
pag.101)

Não
falta competência aos jornalistas para ir atrás da verdade, o que falta é
honestidade!






fonte: Papa Francisco condena a união gay ~ Regozija-te com a Verdade

Comentários