Maria, Mestra e Doutora na ciência da atenção e do estudo



Não foi agradável a Deus instruir sua Mãe, pela luz, pela claridade completa e imediata, sobre o teor e o mistério da Sua Redenção. Mesmo sendo, em tudo, a iniciadora e o exemplo, Deus quis que ela progredisse, que Ela fosse nossa Mestra e Doutora, na ciência da atenção, do estudo, da comparação, da percepção e da inteligência, esta que é o alimento de nosso olhar interior.

Assim como os artistas naïfs da Idade Média que a representam, “segundo” a paixão, com o eucólogo na mão, Deus quis que Ela não se visse privada do mérito da fé, da paciência e do esforço.

Deus quis que, diante da luz e do realce desse Cristo vivo, nascido d´Ela, e que Ela via agir e falar, que Ela purificasse e reunisse, incansavelmente, o testemunho de todos os profetas e o significado de todos os acontecimentos, de forma aprofundada e expandida.

     
     

Paul Claudel,
A Pérola
em: Raymond Halter, A Virgem Maria na obra de Paul Claudel: estudo e antologia
(Ed. Mame, 1958)

Comentários