Nova bem-aventurada Congregada mariana.

Madre María da Puríssima da Cruz

Alexandre Martins, cm.


Bento XVI, antes de rezar a oração mariana do Ângelus, ao concluir a Celebração Eucarística de beatificação do cardeal John Henry Newman (1801-1890), em Birminghan, Inglaterra, disse:

"Desejo enviar minha saudação ao povo de Sevilha, onde ontem foi beatificada a Madre Maria da Puríssima da Cruz. Que a beata Maria inspire os jovens a seguir seu exemplo de amor incondicional a Deus e ao próximo."


Madre María de la Purísima

(no século: María Isabel Salvat Romero) nasceu em Madrid aos 20 de Fevereiro de 1926 na rua Claudio Coello nº 25, no seio de uma distinta família de alto nivel social. Foi batizada na Paróquia da Conceição, na rua Goya de Madrid.

Em 10 de dezembro de 1943, faz sua consagração à Santíssima Virgem e recebe a medalha de Congregada mariana no Colégio de la Bemaventurada Virgem Maria das Madres Irlandesas, (atual "Instituto de la Bienaventurada Virgen María") em Madrid.

No dia 8 de dezembro de  1944, aos 18 anos, ingressou  na Companhia da Cruz (Irmãs da Companhia da Cruz, congregação fundada em Sevilha no ano de 1875 por Santa Angela da Cruz). Tomou hábitos em 1945, professou temporariamente em 1947 e fez votos perpétuos em 1952. Culta e distinta, falava três idiomas (francês, inglês e italiano). Devido a sua piedade, não foi estranho a sua família a decisão religiosa.

Fiel seguidora de Santa Angela e observadora tenaz das regras do Instituto, manteve intacto o carisma fundacional. Foi eleita Madre geral das Irmãs da Companhia da Cruz em 11 de Fevereiro de 1977, sendo antes Superiora das casas de Estepa e Villanueva del Río y Minas, Mestra de noviças e Conselheira geral.

Austera e pobre para consigo mesma - "Do pouco, pouco", dizia - fazia viver as irmãs no espírito do Instituto e na fidelidade às coisas pequenas e se entregou a todos os que dela necessitavam, especialmente as meninas dos internos. Também os pobres e enfermos ocupavam lugar privilegiado em seu coração. Assim atendia com verdadeiro carinho às anciãs enfermas das "cuevas" de Villanueva del Río y Minas, quando esteve ali  como Superiora. Diariamente pela manhã ia até as "cuevas" para atende-las: as lavava, fazia sua comida, e lavava suas roupas. Sempre separava para si mesma os mais duros trabalhos.
Governou a Companhia com incansável zelo e grande espírito de Irmã da Cruz. Seu ideal foi fazer viver o carisma da Santa Madre Fundadora e com sua vida simples, humilde e cheia de fé, dar exemplo. Foi fiel seguidora de sua obra, e deixou no coração de todas suas filhas desejos ardentes de imitar seu amor a Deus e a seu Santo Instituto.

Faleceu em 31 de outubro de 1998.

Foi beatificada em 18 de setembro de 2010, em Sevilha, Espanha.


Oração

Te damos graças Senhor e nosso Pai
por haver glorificado em sua Igreja a Madre Maria da Puríssima da Cruz,
que renunciou a tudo para seguir-te pelo caminho de humildade e pobreza,
imitando assim a seu Filho Jesus Cristo Nosso Senhor.

Faz que o exemplo de sua vida suscite em muitas almas o desejo de seguir-te mais de perto,
servindo-lhe  na pessoa dos pobres e enfermos necessitados.

Digna-te conceder-nos por tua intercessão, a graça que te pedimos. Amém.
P-N, A-M e G-P



Comentários